Mikosz & Mythosz

Arte e Consciência

Mikosz

Gosto das artes visuais desde o tempo das cavernas até o Renascimento ou de movimentos como o Die Brück. Acho Matisse de uma honestidade enorme, Salvador Dali ainda incompreendido ou sub-apreciado. Alguns abstratos são geniais e o Pop foi de adorável resposta. Os foto-realistas só inveja branca minha. Os imitadores do Duchamp pobres diabos chatos (Duchamp mesmo, um gênio!). Acho que o Grafite chegou em boa hora, apesar de que “institucionalizaram” e ele está perdendo sua identidade. Gosto de criar, mas gosto de copiar também, acredito, como Gombrich, que mimesis propriamente não existe.

Acredito que pintar “pintando” e desenhar “desenhando” ainda é fundamental. Conceitos são importantes, somos, enfim, grandes masturbadores mentais, mas aquelas práticas ensinam a ver, valem por milhões de palavras como todos sabem.

Uso o computador para gerar a composição das imagens, dos modelos e fotos que uso, fazendo uma colagem digital que depois levo ao quadro e pinto de forma convencional, disfarçando em parte a textura da tinta, além de que começo a usar mais o repertório da memória, direta na tela sem muitas preocupações, pois era assim que costumava ser divertido…

Atualmente investigo a Arte Visionária (há várias informações pelo Blog sobre isso).  Uso a arte como parte de minha busca pessoal e de minhas ambições em relação a pesquisas sobre a consciência humana. Tenho anotado muitas experiências que devo passar para os quadros e animações.

Tenho um vício pornográfico, adoro entrar em sites de instrumentos musicais (rsrsrs, guitarras principalemnte, mas também efeitos, amplificadores, gravadores, sintetizadores, etc.), sonho absoluto de consumo. Acho que tenho algo para dizer nesse quesito também, mais do que os 4 CDs que já participei, algo mais pessoal ainda que pretendo um dia disponibilizar.

Trabalhei muitos anos com ilustração, outra paixão que tenho desde criança. Com o desenvolvimento da computação na área gráfica, migrei naturalmente, usando os recursos disponíveis para a execução de certos trabalhos. Esse interesse me levou a fazer uma pós-graduação em Engenharia de Software na UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) em 1998. Depois engatei no mestrado de Inovação Tecnológica na mesma instituição e no doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Defendi minha tese dia 13 de março de 2009, pretendo agora me dedicar muito mais a pintar e também voltar minhas pesquisas em Arte e Tecnologia (também bastante presente nesse Blog).

Exposição em Brasília em 2005

Grupo TAG em Berlim

Exposição OLHAR DO SUL – Berlim (2007)

Na foto: Nelson Padrella, o embaixador Luiz Felipe de Seixas Corrêa, Ana Lúcia Mikosz da Nóbrega, Michael Nagl, Antar Mikosz e Attila Wensersky.

A Embaixada em Berlim

Vista da exposição.

Parede Visionária em Berlim

Os expositores: Ana Lúcia Mikosz da Nóbrega, Attila Wenserski, Mikosz e Nelson Padrella.

Mikosz, Padrella, Embaixador Luiz Felipe, Ana Lúcia e Attila.

Ana Lúcia, Kathrin, Marili e Ursula.

Mikosz e Celso Jr.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: